Gustavo Rezende

Trânsito

01.04.2017 - 20.05.2017
Sala 2 / Rua Jerônimo da Veiga, 62

Abertura para convidados: 

01 de Abril, sábado, das 11h às 16h


Horário de funcionamento:

Segunda a sexta-feira, das 10h30 às 19h

Sábado, das 11h às 16h

A Galeria Marília Razuk recebe, a partir do dia 1º de abril, Trânsito, exposição do artista Gustavo Rezende. Sua terceira individual no espaço reúne cerca de 10 trabalhos, frutos de sua produção mais recente. São esculturas e aquarelas, animações e gravura.


É do duplo que se alimenta o trabalho do artista. Se em obras mais antigas ele se materializava formalmente, o duplo agora não se apresenta necessariamente como duplicidade de formas. A questão aqui é a relação dupla no existir, de ser indivíduo e estar no mundo, na complexidade de ser diferente e único, e ao mesmo tempo, ser igual aos outros. De se relacionar com os dramas, fábulas e ícones de um universo pessoal, e ter que encarar o cotidiano banal que nos cerca.


Nesse sentido, a mostra marca a noção de trânsito, de estar entre dois lugares, nem partindo, e nem chegando. São situações provisórias, que marcam passagens, repousos, ações e pequenos acontecimentos, como por exemplo a série de aquarelas que retratam pilhas de cerâmica.


A tradição presente na História da Arte sempre foi um assunto reflexão na produção do artista Gustavo Rezende. Conceitualmente, o trabalho do artista trata da história da arte, presta reverência a ela, ao mesmo tempo em que a desconstrói. Em A gravura mais bonita do mundo, o artista reproduz o Mont Sainte-Victoire a partir do estúdio de Paul Cézanne. Porém, sua versão digital tem aparência serigráfica, cheia de contaminações do universo cotidiano, como transeuntes e placas de sinalização.


Sobre o artista

Gustavo Rezende é graduado em arquitetura pela Faculdade de Belas Artes, de São Paulo; mestrado pelo Goldsmith’s College, em Londres, e doutorado em Poéticas Visuais pela Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo. Desde os anos 1980, quando iniciou carreira, o artista teve seus trabalhos expostos em importantes instituições como o Museu de Arte Moderna de São Paulo (MAM-SP), o Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro (MAM-RJ) e o Paço Imperial (RJ). 


Em 2010, Gustavo recebeu o Prêmio de Aquisição da Pinacoteca do Estado com a obra A Passagem do Tempo e a Natureza do Amor. Em 2013, exibiu suas obras em Mergulho, uma exposição individual na mesma instituição, que teve curadoria de Ivo Mesquita. Atualmente, o Paço Imperial, no Rio de Janeiro, recebe a mostra Amor Sagrado, Amor Profano, mais uma individual curadoria de Douglas de Freitas.


Uma série de obras do artista compõe ainda coleções públicas e privadas. Dentre as públicas, merecem destaque as do Museu de Arte Moderna de São Paulo (MAM-SP), do Museu de Arte Contemporânea da USP (MAC-USP), da Pinacoteca do Estado de São Paulo e do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro (MAM-RJ).


Informações para a imprensa:

A4 & Holofote: 

+ 55 11 3897-4122