Debora Bolsoni

Débora Bolsoni é conhecida por seus trabalhos com formas tridimensionais e que se relacionam com a arquitetura dos espaços e o urbanismo das cidades. Frequentemente sua obra se apresenta como um questionamento sobre os condicionamentos sociais e políticos atrelados aos materiais dos quais se utiliza. Quase sempre suas obras exigem um cuidado extra por parte do observador porque ou a integridade física delas ou a do próprio observador é posta em risco neste contato. A permanência dos seus objetos e a duração da experiência que suscitam costumam ser incongruentes, a fragilidade eminente com que suas obras se colocam no espaço é um chamado a uma fruição cuidadosa, como se a repetição de tal atitude fosse uma oportunidade para o observador, uma espécie de treino para um modo de relacionar-se com a realidade de forma mais atenta.


Mestre em Artes Plásticas pela USP, em 2013, Débora Bolsoni cresceu no subúrbio do Rio de Janeiro, entre a paisagem natural e o ambiente de construções inacabadas e contínuas, características das regiões periféricas das grandes cidades do país. Esses contextos se refletem no caráter simultaneamente empírico e reflexivo de sua produção.


Entre suas principais exposições individuais estão: 2019 - Lição de Mimese (Pinacoteca do Estado de São Paulo - São Paulo, Brasil); 2018 - Coffee and alphabets (Bendana|Pinel Art Contemporain - Paris, França); 2017 - No names but names (Drawing Lab - Paris, França); Pra Aquietar (Galeria Athena - Rio de Janeiro, Brasil); 2016 - Descaracter (Galeria Jaqueline Martins - São Paulo, Brasil); 2014 - Dentro Fora, Galeria Marilia Razuk (São Paulo, Brasil), 2007 - Mudança de Lugar, (Galeria Marilia Razuk, São Paulo, Brasil); 2006 - Gruta Pampulha (Museu de Arte da Pampulha - Belo Horizonte, Brasil), entre outras.


Entre suas principais exposições coletivas estão: 2020 - Até onde a vista alcança (Galeria Athena - Rio de Janeiro, Brasil); Arte em Campo (Estádio do Pacaembú - São Paulo, Brasil); 2018 - Poesia e artes visuais (Galeria Superfície - São Paulo, Brasil); 2017 - Intervenções Urbanas (Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro - Rio de Janeiro, Brasil); 2016 - Condo (The Sunday Painter - Londres, United Kingdon); 2015 - Panoramas do Sul - 19º Festival de Arte Contemporânea SESC_Videobrasil (SESC Pompéia - São Paulo, Brasil); 2014 - Alimentário | Arte e Construção do Patrimônio Alimentar Brasileiro (Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro - Rio de Janeiro, Brasil); 2009 - 7ª Bienal do Mercosul: Grite e Ouça - Mostra Absurdo (Porto Alegre, Brasil); entre outros.


Suas obras estão em coleções importantes como Pinacoteca do Estado de São Paulo (São Paulo, Brasil), Museu de Arte do Rio (Rio de Janeiro, Brasil), Remisen-Brande Art Collection (Brande, Dinamarca), Museu de Arte Moderna de São Paulo (São Paulo, Brasil), entre outros.