Maria Laet

Nasceu no Rio de Janeiro em 1982.

Vive e trabalha no Rio de Janeiro.


Maria Laet é formada pela Camberwell College of Art, onde concluiu o mestrado em 2008.  Realizou residência artística na Schloß Balmoral (Bad Ems, Alemanha, 2009), no Carpe Diem Arte e Pesquisa (Lisboa, 2010) e na Residency Unlimited

(Nova York, 2014). 


Seu trabalho envolve o decurso de uma ação ou de um movimento, dinamismos sutis realizados com recursos simples. As ações consistem num encontro, intercâmbio delicado entre dois intervenientes, como por exemplo: uma pessoa e uma pedra em equilíbrio, duas pessoas colocadas frente a frente, soprando sobre uma gota de tinta, uma pessoa interagindo com um balão de gás hélio. Os movimentos são originados por processos naturais, como a força da gravidade, o sopro, o vento, o correr da água, ou pela energia dirigida do gesto humano, influenciando objetos susceptíveis. Os vestígios das ações ou movimentos são deixados em materiais impermanentes, como areia, e registrados em fotografia e vídeo, ou em materiais tradicionais de desenho, como tinta sobre papel.


Mostrou seu trabalho individualmente no Rio de Janeiro, São Paulo, Paris, Lisboa, Milão e Nova York.   Dentre as suas exposições coletivas estão: como a 33a Bienal de São Paulo: Afinidades Afetivas (Pavilhão Ciccillo Matarazzo, São Paulo, 2018); Cosmogonies, au Gré des Éléments (MAMAC, Nice, 2018); Video Art in Latin America (LAXART, Los Angeles, 2017); La Vie Aquatique (Musée Régional d’Art Contemporain, Occitanie/ Méditerranée, França, 2017); The Valise (The Museum of Modern Art, Nova York, 2017); Tangentes (MSK, Gent, Bélgica, 2015); Encruzilhada (Parque Lage, Rio de Janeiro, 2015); Rumors of the Meteore (49 Nord 6 est – Frac Lorraine, Metz, França, 2014); Everydayness (Wyspa Institute of Art, Gdansk, Polônia,2014); From the Margin to the Edge (Somerset House, Londres, 2012); 18th Biennale of Sydney: All Our Relations (2012); Convite à Viagem (Rumos Itaú Cultural, São Paulo, 2012); e O Lugar da Linha (Museu de Arte Contemporânea de Niterói e Paço das Artes em São Paulo, 2010). 


Sua obra integra coleções do  MAM, Gilberto Chateaubriand, Rio de Janeiro; Museu de Arte Contemporânea de Niterói; 49 Nord 6 est – Frac Lorraine, Metz, França; MSK, Gent, Bélgica; AGI Verona, Itália; Colección Patricia Phelps de Cisneros; e MoMA, Nova York.